Deita gatos

O que fazia o deita gatos? Consertava louça quebrada por meio de gatos de arame.

Esta atividade ficou registada neste postal de um deita gatos de Lisboa (postal circulado em 1904, o nº4, da série “Typos das ruas” de Edição A.Martins).

Também Fernando Pessoa aludiu a esta atividade num bonito poema:

Ó rapaz que deita gatos,
Deitas gatos só em pratos,
Só em tachos e tigelas,
Ou deitas gatos também
Nas almas e no que há nelas
Que as quebra em mal e em bem?

Ah, se, por qualquer magia,
As tuas artes subissem
Àquela melhor mestria
De pôr gatos que se vissem
Nesta alma que se quebrou
No que sonho e no que sou!

Então…Qual então! Que tratos
Dei a um poema que surgiu!
Só consertas, só pões gatos
No inteiro que se partiu.
O que partido nasceu
Nem tu consertas nem eu.

Os artigos apresentados na secção do blogue estão disponíveis para venda a partir da data de publicação. Caso tenha interesse, por favor contacte para saber se ainda se encontram disponíveis.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s